Clubes e Confederação cancelam Brasileiro Masculino de Rugby XV


A Confederação Brasileira de Rugby (CBRu) e os 12 clubes participantes do Campeonato Brasil de Rugby XV decidiram, de forma unânime, cancelar o torneio desse ano, que estava previsto para ser realizado entre os meses de abril e outubro. O acordo foi divulgado no site da CBRu e levou em consideração o cenário de incerteza sanitária causada pela pandemia de coronavírus (covid-19).

“Por ser um esporte de contato, o rugby é mais vulnerável ao contágio. Também não sabemos concretamente como e quando será a liberação das atividades em cada estado. Isso inviabiliza a logística de transporte entre as diversas sedes. Assim, preferimos nos adaptar e nos concentrar nos protocolos de retorno ao jogo de forma gradativa, com poucos atletas e sem contato, seguindo protocolos de identificação, distanciamento e desinfecção em consonância com regras municipais e estaduais. O objetivo é permitir uma volta prudente aos gramados para não expor a riscos desnecessários os cerca de 700 atletas e equipes técnicas envolvidas na competição. Nosso planejamento agora é organizar o tradicional torneio no próximo ano em condições normais, assim esperamos”, declarou o diretor-executivo da CBRu, Jean-Luc Jadoul.

O dirigente também alertou para os cuidados com o condicionamento físico dos jogadores: “É um desafio quando temos um prazo curto de tempo e treinamento. As equipes voltarão às atividades em momentos diferentes. Poderíamos ter muitas lesões”.

O calendário reduzido, já que a competição teria que ser finalizada em apenas três ou quatro meses, foi um outro fator analisado. A CBRU considerou que essa questão comprometeria a prestação de contas aos patrocinadores e ao Governo Federal, que liberou R$ 700 mil através da Lei de Incentivo ao Esporte.

Comentários

Publicidade

americanas.com

Mais lidas

Ugly Food: Movimento mundial estimula a compra de alimentos feios

Hospital João XXIII alerta para risco de queimaduras em ambiente doméstico

Como escolher bem frutas, verduras e legumes

Nova legislação propõe o uso de agrotóxicos mais seguros