Covid-19: Minas Gerais é o estado com menor taxa de óbito por 100 mil habitantes


Em coletiva virtual desta sexta-feira (31/7), o chefe de Gabinete da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), João Pinho, informou que o estado apresenta a menor taxa de óbito pela covid-19 por 100 mil habitantes.

“Estamos bem satisfeitos com o trabalho que vem sendo realizado, fruto de um movimento de muitos profissionais tanto do Estado, quanto dos municípios e também de outras secretarias que partilham deste cotidiano conosco”, afirmou João Pinho.

Até o momento, foram registrados 2.769 óbitos por covid-19 em Minas e a taxa de mortalidade no estado é de 12,7 por 100 mil habitantes, segundo o Ministério da Saúde. Nesse contexto, João Pinho destacou o rigor de critérios para testagem adotados pela SES-MG. “Nossos critérios são muito bem trabalhados e vale reforçar que todos os óbitos suspeitos são testados”, disse.

Confira o gráfico:


 

Minas Gerais já vinha mantendo a posição de segunda menor taxa de mortalidade por covid-19 no país. Em coletiva do último dia 20/7, o secretário de Estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, destacou uma propensão à estabilização de óbitos, considerando a data de ocorrência.

Ações

O primeiro caso da covid-19 em Minas Gerais foi confirmado em 8 de março. Mas, desde o início do ano, o Governo de Minas vem atuando preventivamente no enfrentamento à pandemia.

Em janeiro, foi criado o Centro de Operações de Emergência em Saúde (Coes-Minas) para monitoramento e estudo dos casos e para atuação na tomada de decisões, organizando, assim, as ações de enfrentamento. No mês seguinte, em 27 de fevereiro, a SES-MG apresentou o Plano de Contingência para Emergência em Saúde Pública Covid-19.

Em abril, com o objetivo de garantir Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para profissionais de Saúde que trabalham na linha frente contra a covid-19 no estado, foi lançado o programa Protege Minas. No mesmo mês também teve início o plano Minas Consciente, para orientar prefeitos na retomada segura das atividades econômicas, a partir de critérios técnicos e epidemiológicos. 

Com relação à qualificação da rede de saúde pública de Minas Gerais, de fevereiro a julho deste ano, foram abertos 1.655 leitos de UTI em todo o estado. Além disso, o governo adquiriu 1.047 respiradores para auxiliar os municípios no enfrentamento da pandemia. Outros 343 equipamentos foram enviados ao estado pelo Ministério da Saúde, sendo 174 para uso em UTI’s, e 169 ventiladores de transporte, utilizados em ambulâncias. 

Todos os 1.390 respiradores que chegaram a Minas durante a pandemia farão parte do legado do Estado para a Rede Pública de Saúde.

“Chegar a este momento de platô, que tudo indica ser o ápice da doença em Minas Gerais, com essa taxa de mortalidade e com números bem abaixo dos registrados em outros estados, mostra-nos que o trabalho realizado até aqui no enfrentamento à epidemia está no caminho adequado”, disse o chefe de Gabinete da SES-MG, João Pinho.

Comentários

Mais lidas da semana

Academias e bares abertos dependem da população

Transforma Minas abre vaga para subsecretário de Direitos Humanos

Com crianças em casa, pediatra do João XXIII alerta para risco de acidentes

Estado começa obras para conclusão do Anel Viário de Sete Lagoas

Educação disponibiliza quarto volume do PET