Postagens

Mostrando postagens com o rótulo ANP

ANP retoma hoje 75º Leilão de Biodiesel

Imagem
  A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) retoma hoje (20) , no Rio de Janeiro, a Etapa 3 do 75º Leilão de Biodiesel (L75), conforme novo cronograma publicado na página dos leilões. A etapa havia sido suspensa no último dia 18 por força de decisão judicial, revertida após recurso da ANP.  www.anp.gov.br/distribuicao-e-revenda/leiloes-de-biodiesel/leiloes-de-biodiesel-interna/leiloes-com-entregas-em-2020 De acordo com a ANP, na Etapa 3 é realizada a seleção de ofertas, ou seja, o momento em que as distribuidoras começam a comprar o biodiesel ofertado pelos produtores nas etapas anteriores. No leilão, será considerado o percentual de 10% de mistura de biodiesel ao óleo diesel , de acordo com a redução excepcional e temporária realizada pela ANP para o período de 1º de setembro a 31 de outubro.  Segundo a agência, a medida foi necessária para dar continuidade ao abastecimento nacional, uma vez que a oferta de biodiesel para o período citado pode

Conselho aprova meta de descarbonização do RenovaBio

Imagem
  O Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) aprovou resolução para estabelecer as metas compulsórias anuais de redução de emissões de gases causadores do efeito estufa para a comercialização de combustíveis da Política Nacional de Biocombustíveis (RenovaBio). Segundo o Ministério de Minas e Energia, as metas estão definidas em unidades de Crédito de Descarbonização (CBIO) e consideraram os recentes impactos da pandemia da covid-19 no mercado de combustíveis no curto e no médio prazo. “Consequentemente, as metas de redução de emissões do RenovaBio acompanharam esse movimento, bem como foram reduzidas as metas definidas para o ano de 2020”, diz o ministério. Prorrogação dos contratos de concessão O CNPE aprovou resolução autorizando a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) a prorrogar os prazos de vigência dos contratos de concessão firmados a partir da 1ª Rodada de Licita

Composição da gasolina de aviação pode ter afetado peças, diz ANP

Imagem
  A mudança na composição em um lote de gasolina de aviação (GAV) importada vendida no país este ano pode ter afetado peças de aviões e causado corrosão e vazamentos. A hipótese foi levantada pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e divulgada nesta segunda-feira (17). Os problemas detectados em alguns aviões que usam o combustível, notadamente pequenas aeronaves, foram registrados no início de julho deste ano, quando imagens divulgadas na internet mostraram vazamento de gasolina em alguns aviões, o que colocaria em risco a aviação desse tipo no país.  As denúncias foram oficializadas junto aos órgãos competentes, pela Associação de Pilotos e Proprietários de Aeronaves (Aopa Brasil). Na época, a Petrobras determinou a suspensão do lote suspeito . A ANP, por meio de seu Centro de Pesquisas e Análises Tecnológicas, analisou amostras de GAV que estavam custodiadas em três aeród

Postos já podem vender gasolina com novo padrão

Imagem
A gasolina para carros e motos já pode ser vendida a partir de hoje (3) com o novo padrão estabelecido pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) para a destilação, a octanagem e a massa específica do gasolina automotivo vendido no país. A mudança se deve à Resolução nº 807/2020 , publicada em janeiro, que determina as novas especificações de valor mínimo de massa específica (ME), de 715,0 kg/m3, e valor mínimo de 77,0 ºC para a temperatura de destilação em 50% (T50) para a gasolina A e com a fixação de limites para a octanagem RON (Research Octane Number), que já existe nas especificações da gasolina de outros países. Segundo a especialista em regulação da ANP, Ednéa Caliman, o produto brasileiro passará a ter mais qualidade e maior eficiência energética. “Essa definição é importante. Quanto maior a massa específica do combustível em termos de hidrocarbonetos, maior é a densidade energética do combustível, ou seja, para o mesmo volume de co

ANP anuncia recomendações sobre gasolina de aviação

Imagem
A Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) recomendou aos distribuidores que comercializam gasolina de aviação (GAV), combustível utilizado preferencialmente em aeronaves de pequeno porte, que, em substituição ao Registro de Análise estabelecido nos termos da Resolução ANP nº 5, de 2009, passem a emitir Boletim de Conformidade em todas as quantidades do produto. A orientação é resultado de uma investigação sobre possível contaminação da GAV distribuída no território nacional. A ANP informou, que, no dia 8 de julho, recebeu da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) a informação sobre uma ocorrência de possível alteração do produto. Três dias depois foi a vez da Associação de Pilotos e Proprietários de Aeronaves (Aopa) formalizar uma ocorrência. Segundo a ANP, no mesmo dia, a Petrobras divulgou um comunicado no seu site informando que, após testes realizados em seu centro de pesquisas (Cenpes), decidiu interromper, preventivamente, o fornecime

Pandemia derruba produção de petróleo em maio

Imagem
A produção de petróleo no Brasil diminuiu 6,5% em maio de 2020, na comparação com abril, e aumentou 1,3% na comparação com o mesmo período de 2019. A produção de gás natural caiu 7,8% na comparação mensal e diminuiu 3% na comparação anual. Os dados estão no Boletim Mensal da Produção de Petróleo e Gás Natural, divulgado  hoje  pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). A produção nacional no mês  de maio  foi de 3,485 MMboe/d (milhões de barris de óleo equivalente por dia), com um total de 2,765 MMbbl/d (milhões de barris por dia) de petróleo e 114 MMm3/d (milhões de m3 por dia) de gás natural. Segundo a agência, os principais motivos da queda na produção foram a parada dos navios plataforma (FPSOs, da sigla em inglês) Mangaratiba e Cidade de Angra dos Reis e a restrição na produção das plataformas P-67, P-74 e P-76. “Durante o mês  de maio , 34 campos tiveram a suas respectivas produções interrompidas temporariamente devido aos efeitos da

Pandemia derruba produção de petróleo em maio

Imagem
A produção de petróleo no Brasil diminuiu 6,5% em maio de 2020, na comparação com abril, e aumentou 1,3% na comparação com o mesmo período de 2019. A produção de gás natural caiu 7,8% na comparação mensal e diminuiu 3% na comparação anual. Os dados estão no Boletim Mensal da Produção de Petróleo e Gás Natural, divulgado  hoje  pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). A produção nacional no mês  de maio  foi de 3,485 MMboe/d (milhões de barris de óleo equivalente por dia), com um total de 2,765 MMbbl/d (milhões de barris por dia) de petróleo e 114 MMm3/d (milhões de m3 por dia) de gás natural. Segundo a agência, os principais motivos da queda na produção foram a parada dos navios plataforma (FPSOs, da sigla em inglês) Mangaratiba e Cidade de Angra dos Reis e a restrição na produção das plataformas P-67, P-74 e P-76. “Durante o mês  de maio , 34 campos tiveram a suas respectivas produções interrompidas temporariamente devido aos efeitos da

ANP institui programa para monitorar qualidade de combustíveis do país

Imagem
A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) quer melhorar a qualidade de combustíveis comercializados no país. Com esse objetivo, a ANP editou a Resolução nº 790, de 10 de junho de 2019, publicada no Diário Oficial da União desta terça-feira (11), instituindo o Programa de Monitoramento da Qualidade dos Combustíveis. O programa estabelece, entre outras diretrizes, os requisitos para o credenciamento de laboratórios que farão as análises dos seguintes combustíveis: etanol hidratado, gasolina C e óleo diesel B. Os resultados obtidos pelo programa serão utilizados para geração de indicadores da qualidade dos combustíveis líquidos automotivos comercializados no território nacional. “O laboratório credenciado não poderá ter vinculação, nem possuir em seu corpo administrativo ou social pessoas diretamente ligadas a produtores de combustíveis ou agentes econômicos ou instituições a eles vinculadas, tais como sindicatos e associações”, diz a resolução. O documento es

ANP desinterdita Refinaria de Paulínia após mais de quatro meses

Imagem
A Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustível (ANP) desinterditou hoje (16) a Unidade de Destilação Atmosférica U-200 da Refinaria de Paulínia (Replan), em São Paulo, que foi uma das três unidades atingidas pelo acidente na refinaria em agosto de 2018. A desinterdição, segundo a ANP, ocorreu porque a Petrobras atendeu todas as exigências feitas pelo órgão regulador. “Dessa forma, a refinaria volta a ter sua capacidade plena de processamento”, informou em nota a ANP. Em novembro de 2018, tinha sido liberada a Unidade de Craqueamento Catalítico U-220A. Agora apenas a Unidade de Tratamento de Águas Ácidas U-683, permanece interditada. De acordo com a ANP, ela “não interfere na capacidade de processamento da refinaria, uma vez que há outras unidades que suprem essa finalidade”. A ANP afirmou que continua investigando o acidente.   Por Cristina Indio do Brasil   Fonte: Agência Brasil  

Cemig coloca à venda participação em consórcios para exploração de petróleo e gás

Imagem
Dando continuidade ao Programa de Desinvestimento, iniciado em 2017, a Cemig fará, no próximo dia 18 de janeiro, uma oferta pública das cotas de participação que possui nos Consórcios de Exploração de Petróleo e Gás Natural em cinco blocos, quatro deles localizados na Bacia do São Francisco, no Norte de Minas, e um na Bacia do Recôncavo, na Bahia. Atualmente, os trabalhos se encontram na etapa de prospecção, com expectativa de existência de reservas de gás no São Francisco e de petróleo no Recôncavo. A concessão para exploração das áreas foi obtida pela Cemig, em consórcio com outras empresas, na 10ª Rodada de Licitações promovida pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), em 2008. Em cada consórcio, a Cemig possui participação de 24,5%, e, em todos eles, já foram realizadas as atividades previstas no Programa Exploratório Mínimo, conforme compromisso assumido junto à ANP. Em 2017, a Diretoria da Cemig anunciou uma trajetória de desi

Produção do pré-sal cresce 3,3%, diz a ANP

Imagem
A produção dos campos brasileiros do pré-sal em julho totalizou 1,821 milhão de barris de óleo equivalente (petróleo e gás natural), um aumento de 3,3% em relação a junho. Os dados foram divulgados hoje (3), no Rio de Janeiro,  pela Agência Nacional do Petróleo e Gás Natural (ANP). Segundo a ANP, em julho os campos do pré-sal produziram 1,454 milhão de barris de petróleo por dia e 58 milhões de metros cúbicos diários de gás natural, por meio de 87 poços. Com o aumento da produção em junho, os campos do pré-sal passaram a responder por 55,1% de toda a produção nacional. A produção total de petróleo e gás natural nas bacias sedimentares do país em julho foi de aproximadamente 3,305 milhões de barris de óleo equivalente por dia. A produção de petróleo atingiu 2,575 milhões de barris de petróleo por dia, uma queda de 0,6% na comparação com o mês anterior, e de 1,8% em relação a julho do ano passado. Já a produção de gás natural somou 116 milhões de metr