Postagens

Mostrando postagens com o rótulo Jogos Olímpicos

Ana Marcela anuncia retorno a competições e homenagem a Senna

Imagem
  A maratonista aquática Ana Marcela Cunha anunciou na última segunda-feira (17) o seu retorno às competições. Será no dia 6 de setembro na 55ª edição da Travessia Capri-Napoli. Essa será a terceira vez que a brasileira disputará a prova italiana, que tem trajeto de aproximadamente 36 km. Tanto em 2010 como em 2014 ela venceu e segue sendo a recordista da prova com o tempo de 6h24min47s. Nessa oportunidade, a atleta fará uma homenagem especial ao tricampeão mundial de Fórmula 1 e eterno ídolo do esporte brasileiro Ayrton Senna. No ano no qual o piloto completaria 60 anos de idade se estivesse vivo, a brasileira decidiu homenageá-lo com uma touca personalizada, que faz alusão ao capacete verde e amarelo usado pelo piloto. Ver essa foto no Instagram É com muito orgulho que anuncio para vocês que nadarei a prova Capri-Napoli dia 6 de setembro com essa touca, que lembra o capacete do nosso e

Triatleta olímpico comanda projeto social com 11 centros pelo Brasil

Imagem
  O ano de 2020 está sendo muito especial para o triatlo brasileiro. Além de nomes jovens que seguem conquistando espaço no circuito mundial, como Manoel Messias (de 23 anos e 45º colocado no ranking), Vittória Lopes (de 24 anos e 23ª no ranking mundial) e Luisa Baptista (de 26 anos e 33ª no ranking mundial), o projeto social escolinha Formando Campeões, do triatleta Juraci Moreira, completa cinco anos. “Era um sonho que tinha para o pós-carreira, oferecer a chance de crianças e adolescentes praticarem esporte de forma gratuita. Estou conseguindo consolidar esse trabalho. Implantamos o núcleo inicial em Curitiba, e hoje já são 11 deles pelo Brasil (7 em São Paulo, 2 em Curitiba e 2 no Ceará). Atendemos 500 crianças, de oito a 16 anos”, afirma Juraci à Agência Brasil. Ver essa foto no Instagram Os últimos dias foram daqueles que me fazem renovar as energias para continuar me esforçando em

A história peculiar de uma aposta do basquete brasileiro

Imagem
  Há exatamente um ano, a seleção brasileira feminina de basquete vivia um dia memorável. A vitória contra os Estados Unidos na final dos Jogos Pan-Americanos de Lima deu ao time a medalha de ouro, algo que não acontecia desde 1991. Para muitas atletas daquele grupo, foi o momento de, enfim, saborear uma grande conquista pelo país depois de anos com o Brasil no papel de coadjuvante. Para Stephanie Soares, à época com 19 anos, era só um começo mais do que promissor para a caminhada. A mais nova daquele grupo, Stephanie relembra como foi a farra depois da vitória: “Nossa, já era muito tarde, acho que uma da manhã e ainda estávamos dançando no ônibus, todo mundo muito feliz”. Não foi a primeira participação dela na seleção principal, mas, de uma certa forma, ali a presença dela no time passava a ser para valer. A jogadora apareceu logo na primeira lista de convocadas pelo técnico José Neto, que assumiu pouco ant

Parque de Deodoro volta a receber equipe da canoagem slalom

Imagem
A equipe brasileira de canoagem slalom chegou ao Rio de Janeiro nessa semana para a retomada dos treinos no Parque Aquático de Deodoro, localizado na Zona Oeste da capital fluminense. A delegação conta com seis atletas, entre eles Ana Sátila, classificada para participar de duas provas (canoa e caiaque), nos Jogos Olímpicos de Tóquio. O Parque de Deodoro ficou fechado por mais de quatro meses em razão da pandemia do novo coronavírus (covid-19). Nesse período, grande parte do time brasileiro não pôde realizar o trabalho específico dentro da água. “Há um mês, quando as conversas começaram a ficar mais concretas sobre a reabertura, já ficamos mais empolgados. A pista de Deodoro é incrível. Até fiz alguns trabalhos em Foz do Iguaçu, onde estou morando, mas não é a mesma coisa. Acredito que foi justamente na parte técnica, dentro da água, que mais perdemos durante a quarentena. Vou ter que me cuidar, até para não voltar tão animada e, de repente, me lesionar”, declarou a at

COB confirma Missão Europa na próxima sexta-feira

Imagem
O Comitê Olímpico Brasileiro (COB) anunciou que recebeu autorização do governo de Portugal para enviar atletas brasileiros para treinar no país europeu entre julho e dezembro deste ano. A chamada Missão Europa, que começa na próxima sexta-feira (17), foi confirmada após o Brasil ter ficado de fora do primeiro grupo de nações com entrada permitida na União Europeia, que começou em 1° de julho. A abertura das fronteiras de países europeus faz parte das medidas de relaxamento gradual de distanciamento social adotadas para conter o avanço da pandemia de covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. Os critérios para o acesso estão ligados à tendência de queda ou estabilização de contágio da covid-19 em cada país. Ao site do COB, o presidente do Comitê Olímpico de Portugal, José Manuel Constantino, explica como os brasileiros conseguiram a permissão para realizar suas atividades em solo português. “A legislação recentemente publicada em Portugal prevê condições especiais

"Atletas estão bem preparados para Jogos", diz vice-presidente do COB

Imagem
O vice-presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e chefe da missão do Time Brasil em Tóquio, Marco Antonio La Porta, disse que o país deve chegar aos Jogos Olímpicos com mais de 280 atletas. A gente conta com a torcida de todos. Nossos atletas estão muito bem preparados e animados”, afirmou. O governo japonês descarta a possibilidade de cancelamento das competições por causa da pandemia de coronavírus. A estimativa do COB deve se se confirmar em meados de junho, poucos dias antes do embarque da delegação para o Japão. Isso porque algumas modalidades ainda precisam passar por disputas classificatórias. O chefe da missão brasileira nos Jogos contou ao programa Impressões, da TV Brasil, que vai ao ar hoje (18), às 23h, como a equipe verde-amarela está se preparando para o evento. A meta, segundo ele, é manter o Brasil no patamar conquistado nos Jogos do Rio, quando a equipe teve o melhor resultado da história em Olimpíadas. Os brasileiros ficaram em 13º lugar no quadro de medalhas,

A caminho da Europa, seleção de judô se blinda contra coronavírus

Imagem
A seleção brasileira de judô embarca na próxima terça (10) para a Rússia, onde disputará, entre os dias 13 e 15 o Grand Slam de Ecaterimburgo. O país tem 25 inscritos. Só os donos da casa, com 55 judocas, estarão mais representados. O evento é um dos que mais vale pontos no ranking olímpico da Federação Internacional da modalidade (IJF, na sigla em inglês). O campeão, por exemplo, leva mil pontos. É um detalhe relevante nesta reta final de qualificação para os Jogos de Tóquio (Japão) após o cancelamento do Grand Prix de Rabat (Marrocos) por causa do surto do novo coronavírus. Por enquanto, o evento em solo africano é o único que deixou a programação internacional do judô até o fechamento do ranking, em maio. "A IJF garante que não cancelará mais competição alguma, a não ser que o país anfitrião esteja em áreas de risco", afirma à Agência Brasil o gestor de Alto Rendimento da Confederação Brasileira de Judô (CBJ), Ney Wilson. Judocas e comissão técnica da seleção estiveram r

Coronavírus faz Tóquio 2020 ter cerimônia da tocha mais simples

Imagem
O presidente do comitê organizador dos Jogos de Tóquio 2020, Yoshiro Mori, afirmou nesta sexta (6) que a cerimônia de chegada da chama olímpica ao território japonês será mais modesta do que o previsto inicialmente, sem a presença de crianças, por conta do avanço do coronavírus no país. A intenção original era que 140 crianças japonesas viajassem para Atenas para participarem da cerimônia de entrega da chama no dia 19 de março. "Na cerimônia de entrega, que acontecerá em Atenas no dia 19 de março, foi planejada a apresentação de 140 crianças. Mas, para colocar a segurança das crianças na prioridade máxima e levar em conta a solicitação do Governo (...), decidimos não enviar as crianças", disse o dirigente. Além disso, Yoshiro Mori declarou que na cerimônia para receber a tocha na Base Aérea de Matsushima, na província de Miyagi, no dia 20 de março, também não haverá a “participação de crianças”. No Japão as escolas estão fechadas, uma medida para tentar combater o surto de